quinta-feira, 14 de abril de 2011

Mulher do séc XXII?


Senhora do ginásio

Todos os dias aparece com roupa de treino diferente, peças de marca bem justas e uma tatuagem recente na base das costas. Vai ao cabeleireiro às sextas-feiras, fez depilação definitiva e, após quase 20 anos de casada, celebrou o divórcio com amigas em Ibiza. Fumou um charro, bebeu sangria de champanhe, dormiu com um italiano com bíceps de sexo tântrico. Recebeu património, dinheiro e liberdade após o divórcio. Numa festa passou por um grupo de miúdas, amigas da filha, e perguntou: "Estão bem? Isso também não interessa nada, o que interessa é se estão giras." Vê vídeos da Lady Gaga e tem aulas privadas de varão - sugestão de uma amiga divorciada, que também aconselhou: "Os rapazes novos são os melhores." Está mais enxuta que muitas solteiras nas aulas de spinning, passeia-se nua pelo vestuário e está-se tão nas tintas para a crise que comprou outros sapatos Jimmy Choo. O mais recente colaborador neste processo de emancipação, fruição e despreocupação é o personal trainer que a ajuda a definir os abdominais. Chegaram a jantar fora e a passear na praia, mas passaram mais tempo no apartamento que ela tem no Chiado, um mês de acrobacias de cama, até que ela anunciou, num almoço: "Não dá mais." E já estava a bater com o pé, como uma adolescente à espera de um sms, quando ele perguntou: "Porquê?" Ela reparou que o empregado de mesa espreitava o seu decote e só depois respondeu: "Há outra pessoa." Ele tentou ser o homem que os músculos anunciavam: "É alguém mais novo, não é?" Ela pagou a conta e disse: "Não, é alguém mais rico."

Hugo Gonçalves - Jornal i

Estar-nos-emos a transformar neste ser que Hugo Gonçalves descreve meninas? Ele parece dar vida a um ser insensível, superficial e egocêntrico. E se é visível que o mundo caminha nesta direcção não creio, melhor espero, que este não seja o futuro da generalidade. Vejo todos os dias mulheres com corações despedaçados por homens e se é certo que uma noite de prazer ou uns Jimmy Choo não fazem mal a ninguém, também é certo que não é esta a solução para os seus problemas certo? Ou errado?

26 comentários:

S* disse...

Gosto muito dos textos do Hugo, mas não concordo. Acho que as mulheres mantêm a essência, a vontade de serem amadas... escondem essa vontade debaixo de uma capa de "loucura" e "independência". mas toda a gente quer ser amada...

*Sininho* disse...

Não podia concordar mais com a S*.

Ana disse...

Eu... sou obrigada a concordar, ainda que parcialmente, com o Hugo. Não digo que sejam todas, daí não concordar com a generalização. Sei, sim, de casos de mulheres que durante muitos anos viveram a contar tostõezinhos, a cuidar do marido e dos filhos, para chegar ao fim de alguns vinte anos e sentirem que desperdiçaram os melhores anos das suas vidas a dedicarem-se de corpo e alma a uma pessoa que acaba por lhes dar um belo de um chuto no traseiro para andar metido com uma loira com metade da idade.

Resultado?

Aprendem a viver lá para os 40 ou 50, e para fazer tudo aquilo que não puderam fazer na juventude. Outro efeito passa para os filhos e filhas que vive, assim, de perto com o processo e as suas respectivas consequências, e que tenta desde cedo bater o pé a muitas coisas.

A meu ver, como mulher, estamos cada vez mais seguras de nós, mais preocupadas com a nossa imagem, mais dedicadas ao nosso corpo e à nossa mente... cada vez mais nos pomos em primeiro lugar. E se, por um lado, há homens que se sentem mal com isso, felizmente há outros que sabem reconhecer que, numa relação, mais vale ter uma mulher feliz, confiante e genuína que é como é antes, durante e depois da relação (quer transite do namoro para o casamento, ou não) do que uma mulher insegura que passe uma imagem errada de si mesma e que, anos mais tarde, venha a culpar o companheiro por não lhe ter dado liberdade suficiente para ser ela mesma, quando foi ela que o pôs em primeiro lugar desde o início.

Não sei se o raciocínio fez muito sentido, e já sei que é um testamento descomunal, mas é a minha mais singela opinião...

Fi ♥ disse...

A tua singela, ou não, opinião é sempre bem vinda Ana:)
Percebo o que queres dizer e concordo que as mulheres sejam independentes, se cuidem e se ponham em primeiro lugar. Mas há limites, pois se a Sra andou anos a fingir ser a perfeita dona de casa sem aproveitar a vida foi uma opção dela e só dela.
Agora revoltarem-se e virarem adolescentes fúteis e drogadas com 40 ou 50 anos faz-me muita confusão sobretudo quando têm filhos à sua responsabilidade.

Palco do tempo disse...

Não concordo muito com este texto :)
não me parece que a mulher do sec XXI seja assim...

kiss kiss

PinkEmotions disse...

Nós não somos assim, nem pouco mais ou menos.

Ana disse...

@ Fi: Sim, sim dúvida, há limites. Tens toda a razão. E ela ultrapassou, em muito.

Heriwen disse...

Algumas mulheres (e homens) são assim. Mas geralmente tanto brilho e rodopio para esconder, do mundo e de si próprios, a verdadeira solidão.

Parisca disse...

"ai ao cabeleireiro às sextas-feiras, fez depilação definitiva e, após quase 20 anos de casada, celebrou o divórcio com amigas em Ibiza. Fumou um charro, bebeu sangria de champanhe, dormiu com um italiano com bíceps de sexo tântrico." adorei! há por aí muitas assim. No entanto, não convém generalizar! Infelizmente, acho que muitas mulheres abusam do argumento "ai que fomos reprimidas tantos anos, vamos lá javardar agora!"

PinkEmotions disse...

Sim claro que podes. Comprei numa loja que há ao pé da estação de comboios em Entrecampos (Lisboa). Não sei se conheces porque não sei se és de Lisboa :X Não foi em nenhuma loja dessas mega fashion, mas foram mega baratos, são confortáveis e são giros, que é o que se quer :D Se fores de Lisboa eu posso-te dizer onde fica ;)

Marry disse...

isso é verdade, mas mesmo assim esforcei-me mesmo e mesmo assim não cheguei lá s:

Marry disse...

obrigada :)

100 Pretensões disse...

Há casos em que realmente, existe alguma semelhança, por motivos que já disseram aqui nos comentários, e dpois vivem aos 40/50 anos o que não viveram antes. Não cho é que isso seja geral, pois existem limites.
**

PinkEmotions disse...

É pena. Quando cá vieres eu digo-te onde são :P
Ele está bem, obrigada pela preocupação. Só precisa de descansar agora.

Le Blonde disse...

Também não concordo... apesar de serem cada vez mais as histórias de divórcios existem tambem muitas histórias de amor que que se prolongam. E não me parece que a mulher dos dias de hoje seja como ele a descreve, nem acredito que um dia nos tornaremos isso!

Mundinho disse...

Adorei o teu blog, estou a seguir.. =)

*C*inderela disse...

quero acreditar que não seja assim!

em relação aos vernizes da essence estão à venda nas parafarmacias Well's existentes no Continente
:)

bjokas

Gonçalo disse...

Escreves muito bem :)

Ana FVP disse...

Conheço muitas mulheres às quais se aplicam algumas características descritas no texto. Mas nenhuma se enquadram no plano total! Acho que vamos ganhando alguma independência e alguma "casca" em relação às relações amorosas. Mas as nossas hormonas nunca nos deixarão tão insensíveis assim. Não está na nossa fisiologia Lol

Pinkk Candy disse...

claro que não se pode dizer que as mulheres são TODAS assim. mas há muitas Samanthas por aí. opah cada um faz o que quer. viva a liberdade, certo?

Nádia disse...

Há pessoas que tentam esconder anos de desgosto atrás destas máscaras, não condeno. Se acho bem? Não. Mas também estive para cair nesse vazio e compreendo o sentimento... Às vezes uma mulher maravilhosa acredita que não pode ser amada verdadeiramente... A culpa é mesmo da sociedade...e das ideias que impomos a nós próprias... :)

http://myfashioninsider.blogspot.com/

Fi ♥ disse...

PinkK Candy sim viva a liberdade, desde que como já afirmei não tenham filhos à sua responsabilidade. Conheço uma mulher divorciada que deixa dois filhos menores, um deles praí com 9 anos em casa de noite para sair com as amigas. E ainda tem a lata de afirmar que às vezes nem sabe como chega a casa. Com isto lamento mas não posso compactuar.

Pinkk Candy disse...

Fi,

isso já é irresponsabilidade e negligência. acho que o texto do Hugo Gonçalves não se refere a esse tipo de mulheres, mas a mulheres descomprometidas, mais velhas, divorciadas, com filhos independentes. foi assim que entendi. :)

Pinkk Candy disse...

(p.s: podes-me responder sempre aqui no teu blogue, que eu subscrevo sempre os comentários e recebo-os no email, e assim a conversa não fica descontextualizada:))

Fi ♥ disse...

Pinkk Candy como no texto refere expressanmente: "Numa festa passou por um grupo de miúdas, amigas da filha, e..." pode dar para os dois lados. Mas sim eu percebi a tua interpretação, e assim sendo também não tenho "nada" a apontar:) *

Maria disse...

Fi, na minha opinião existem mulheres muito fúteis mas os homens não lhes estão atrás. Cada um sabe de si e rotular as outros pessoas e 'condená-las' é puro preconceito... acho eu... bjoca linda :-)

Maria
http://makeupblah.blogspot.com/